Crise econômica e isenção de IR

No mundo já são quase 4 milhões de infectados e, no Brasil, estamos chegando na marca dos 150 mil. Por isso, nós, do Isenta estamos muito preocupados com o COVID-19, provavelmente vocês já devem ter notado pelos nossos emails e posts enviados! Temos utilizado a #fiqueemcasa.

Vocês também já sabem que nós estamos trabalhando de casa, mas, por outro lado, sabemos que existem pessoas que não possuem esse privilégio.

Ainda assim, refletimos como fica para aqueles que não podem trabalhar em casa. Mais do que isso, refletimos como fica a economia do nosso país (assunto que vem sendo largamente discutido nas últimas semanas). Por isso, estamos juntando a crise econômica e a isenção do IR, para você saber um pouco mais sobre os seus direitos. 

Quais medidas estão sendo adotadas pelo ministério da economia?

O governo brasileiro vem tentando incentivar o mercado interno, dentre elas:

  • (a) antecipando o 13º salário para aposentados do INSS: a primeira parcela em abril e a segunda em maio; 

  • (b) liberando saques do FGTS (R$ 1.045 a partir de junho);

  • (c) liberação de 200 bilhões de reais para a saúde;

  • (d) auxílio emergencial de R$ 600,00 para trabalhadores informais, desempregados, microempreendedores individuais, trabalhadores intermitentes;

  • (e) produtos médico-hospitalares com Imposto sobre Produtos Industrializados(IPI);

  • (f) prorrogação da entrega da declaração do imposto de renda; e

  • (g) desoneração do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

Qual o impacto da pandemia para a economia brasileira?

Existem previsões que apontam uma retração no produto interno bruto (PIB) brasileiro de mais de 5% em 2020. Em poucas semanas, milhares de empresas estão fechando e seus empregados perdendo seus empregos. Por isso, mais do que nunca, especialistas indicam a intervenção do Estado na economia. 

Portanto, a política de austeridade fiscal, marca do Ministro da Fazenda, Sr. Guedes, será modificada gastos mais elevados e, no atual momento, necessários. No entanto, a verdade é que as propostas do governo ainda são tímidas e será necessário muito mais do que isso para que a economia também não sofra um lockdown

Como nós podemos incentivar localmente a economia? 

Pensando em algumas dicas para incentivar a economia (pelo menos localmente) e evitar ao máximo a crise econômica, temos algumas sugestões:

  1. Tente manter o pagamento dos prestadores de serviços (professores, academias, fisioterapeutas, empregados domésticos, etc.). Sim, sabemos que isto é extremamente difícil, mas se tivermos disponibilidade de ajudar estas pessoas, acabamos, por consequência, ajudando o dinheiro a circular na economia.

  2. Sempre que possível tente prestar seu trabalho e também contratar pessoas, se possível, na modalidade online. Sim, também sabemos que consultas e serviços feitos na forma remota (online) não são, muitas vezes, tão bons quanto aqueles feitos fisicamente/presencialmente. Contudo, a manutenção dos serviços também ajuda a circular dinheiro e fomentar a economia;

  3. Ainda, é muito importante que a economia local seja fomentada, por meio de compras em negócios locais. Portanto, dentro do possível, tente comprar naquela padaria da esquina ou naquele minimercado do bairro. Muitos desses negócios já estão se adaptando à atual situação, como tele-entregas super rápidas e práticas;

  4. Se você conhece algum aposentado ou pensionista com doença grave, você pode recomendar o Isenta.app para ele, pois essa pessoa pode ter a isenção do IR, o que pode ajudar no balanço mensal final, não é mesmo?! 🙂

E como podemos ajudar na crise econômica com a isenção de IR?

Nós podemos ajudar você (aposentado ou pensionista com doença grave) a ter mais dinheiro para fomentar a economia e ajudar o país. Acessando nosso site, você poderá iniciar pedido de isenção de imposto de renda na nossa plataforma. Com a isenção, você terá mais receita para adotar as três sugestões acima sugeridas!

Cuide-se e, se possível, #fiqueemcasa

myLandbot.on('fbLandbot',function(data){ fbq(data.args); });